A Rede Educação Especial do Campo surge com a união de professores - pesquisadores de várias universidades do Brasil com o propósito de ampliar a discussão sobre a pessoa com deficiência em espaços do campo, como: aldeias indígenas, assentamentos, quilombos, ribeirinhos. Cadastrada no CNPq desde 24 de agosto de 2020.